domingo, 24 de abril de 2011

Júnior Dihl: Sorrateiro

Júnior Dihl: Sorrateiro: "Se, realmente existir este tal de amor, Preciso conhecê-lo, para tentar-lhe ajudar, Ouvi relatos de pessoas que, sem pestanejar, Afirmam su..."

Sorrateiro


Se, realmente existir este tal de amor,
Preciso conhecê-lo, para tentar-lhe ajudar,
Ouvi relatos de pessoas que, sem pestanejar,
Afirmam sua existência e mais, o conhecem.
Há boatos de que ele é cego e, talvez surdo.
Ou camufla muito bem sua real personalidade,
Pois é sorrateiro, chega sem avisar e fica,
Pode arrancar-lhe sorrisos e lágrimas,
Assim, sem qualquer esforço, muda tudo.
Educação é algo que ele desconhece,
Pois nunca foi, de fato, apresentado,
Nunca lhe disseram, por exemplo,
Prazer em conhecê-lo, amor.
Nunca lhe convidaram a entrar nas vidas alheias,
Já fico na duvida se realmente quero vê-lo,
Disseram-me que ele sobrevive a tudo,
Que tudo pode vencer. O tempo, distância,
As diferenças, o preconceito e tudo mais,
Tenho cá minhas duvidas, mas prefiro assim,
Não pagar para ver se realmente ele tem este poder,
No entanto, juntando os fatos e boatos que ouvi,
Chego à conclusão de que já o conheço,
Não tanto quanto ele me conhece,
A certeza de que o amor existe é simples,
Sigo diariamente, de mãos dadas com sua alma-gêmea,
A saudade, ela que vive de mãos dadas com o amor,
Saíram, com certeza, da mesma placenta,
Um só aumenta por causa do outro, ambos se completam.
Não há amor sem saudade e não há saudade sem amor.
Então, se a saudade se faz presente constantemente,
O seu irmão sorrateiro existe sim, o amor.


@JuniorDihl
http://www.oinovosom.com.br/juniordihl

domingo, 17 de abril de 2011

À margem


Acompanhado de uma saudade que ruína o peito
Sinto o coração bater descompassado,
Emaranhado entre palavras proferidas ao vento,
A esmo em ruas que me acolhem como um filho,
Sem rumo e guiado apenas pela emoção.
No ventre de cada esquina vejo imortais,
Personagens que atuam constantemente, ali.
Pessoas que não reverenciam seu público,
Que sentem desprezo por sua platéia, que é,
A própria noite, a rua, o frio e a chuva.
Mas e a tristeza destes artistas anônimos,
Quando irá findar, esta tristeza?
Um sorriso, já custa caro. Um abraço, nem tanto,
Percebo que sou apenas um coadjuvante desta trama,
Tenho meus anseios, meus medos, minhas dúvidas,
Bem como, minhas certezas e convicções,
A mesquinharia alheia agora reflete em mim.
Não propositalmente, mas por caprichos da vida.
Não tenho mais aquela imagem destorcida,
Dos fatos, das coisas, do mundo e de seus mundanos,
Não sou melhor, não sou pior, sou único,
Minha tristeza passará quando estiver ao teu lado, linda.
Mas e a tristeza de meus irmãos, que atuam neste filme?
Neste filme chamado vida, o qual é dirigido pelo destino.
Quando passará esta tristeza?


@JuniorDihl

terça-feira, 12 de abril de 2011

Orquídea


O que te faz tão bela, meiga pétala?
Na minha sensibilidade óptica,
Torna-te dogmática à beleza,
Sustenta a opulência quanto à mesma,
Faz de mim mais um admirador.
Do orvalho que refresca sua pele,
Ao raio solar que exibe seu brilho,
Eminente brilho áurico-violáceo,
Na maciez do seu toque à minha pele.
Diga-me, o que te faz tão bela?
Poderia revelar seus segredos,
Ou os segredos dos Deuses que a fizeram,
Para assim poder ser belo igual a ti.
Prepotência a minha querer me igualar,
Mesmo sabendo que ser algum poderá,
Assemelhar-se a ti, minha linda.
Delicada flor que exibe a sutileza,
Da raiz ao pólen, a verdadeira riqueza,
Cultivada no seio do amor e da pureza,
Diga-me pela última vez, o que te faz tão bela?


@JuniorDihl

sábado, 2 de abril de 2011

Hoje é o dia


Você diz que hoje não é o melhor dia,
Eu digo que sim. Hoje é o melhor dos dias, hoje é o dia!
Olhe a sua volta, as flores se abrindo, o sol ainda tímido, mas saindo aos poucos, o frio que pode incomodar, mas deixa a esmo a vantagem de expor sua sensualidade em, uma roupa mais quente.
Agradeça por você ter passado uma noite aconchegante em sua cama, com todo o conforto que lhe foi ofertado. Agradeça por sua família e amigos estarem bem de saúdes e firmes em seus sonhos.
Por você ter alguém a quem dizer bom dia, por ter alguém que lhe deseje um bom dia, por ter alguém que lhe diga todos os dias que você é a pessoa mais importante do mundo e que te ama sem limites.
Por ter um alimento rico e saudável à mesa, por ter sonhos diversos e as reais chances de realizá-los.
Você é a pessoa mais especial do mundo, para todos os seus amigos e deve ser para você mesmo, principalmente, a si mesmo. Não se julgue inexperiente ou infeliz, somente se descobre que é inexperiente após a morte, por ter deixado de fazer várias coisas as quais teve vontade. Somente se descobre que é infeliz após a perda, pois ai sim irá dar valor a tudo aquilo que você tinha e achava insuficiente.
Não deixe que seus sonhos e convicções se percam com o tempo, só assim você terá condições de não se arrepender por ter errado ou falhado. O erro é a consequência de uma ação e, toda ação deve ser observada com apreço e calma, se sua reação não for coerente com sua ideia, não desanime, aprenda e acerte!
Sinta compaixão, sinta apreço por coisas materiais e pelas pessoas, por que não? Mas nunca sinta pena, muito menos de você mesmo, o sentimento denominado, pena, é o fim da estrada. Se chegares a sentir pena de si próprio terá de começar tudo de novo, reiniciar a vida. Não vai querer começar do zero, certo?
Então siga em frente, sempre em frente, sem olhar para trás e sem pensar que hoje não é o melhor dia. Ontem, talvez não fosse, mas só em ter acordado, hoje já se faz um dia especial.
O amanhã certamente tende a ser melhor, sempre será. Apenas confie.


@JuniorDihl